01 / 01

Arquitetura

Como o comportamento de consumo influencia os projetos arquitetônicos?

dez , 18
Como o comportamento de consumo influencia os projetos arquitetônicos?

Os avanços tecnológicos, combinados aos fatores econômicos e sociológicos, criam mudanças comportamentais globais que variam de uma década para a outra. Todos os setores de serviços e comércio são afetados por essa evolução — e isso indica como o comportamento de consumo influencia os projetos arquitetônicos, por exemplo.

Quer entender mais sobre o tema? Acompanhe o texto!

A Geração Milênio

A chamada Geração Y é quem dita as regras do momento. Trata-se das pessoas nascidas entre o início dos anos 80 e o ano de 1994. São, hoje, cerca de 13,8 milhões de pessoas em todo o mundo. São os primeiros nascidos em um ambiente globalizado, na era dos computadores e da Internet.

As crianças dessa geração cresceram com TV a cabo, videogame, computadores, telefones celulares e uma série de tecnologias as quais seus pais não tiveram acesso. Isso influenciou muito a forma como se comportam em diversos aspectos.

São pessoas que prezam pelo conforto, são multitarefas, estão sempre em busca de sucesso profissional, mas querem um equilíbrio entre vida e trabalho . Eles também se casam mais tarde que os seus antepassados. Estima-se que mais de um quarto dessa geração ainda viva na casa dos pais, sendo 10% homens com idade entre 30 e 34 anos, algo incomum nas décadas anteriores.

As preferências da Geração Y

Os filhos da Geração Milênio também são preocupados com o meio ambiente e buscam a sustentabilidade. Estão interessadas em deixar um bom lugar para seus filhos viverem, com qualidade de vida. Além disso, têm grande ambição e são bastante empreendedoras, criando negócios promissores, que não exigem muito esforço físico.

Assim, quando procuram um lugar para morar, os jovens da Geração Y querem conforto, tecnologia, sustentabilidade, praticidade, otimizar espaços, ergonomia, entre outras coisas. A estética se transforma em algo secundário, pois o que importa é a funcionalidade.

Como muitos deles trabalham em casa, em frente ao computador, proliferaram-se os home offices, fazendo com que os arquitetos e designers de interiores adaptem o escritório para dentro de casa e criem espaços de trabalho em pequenos ambientes.

A importância da sustentabilidade nesta era

Assim, a opção pelo consumo sustentável é uma tendência e tem levado os profissionais de arquitetura e urbanismo a pensar em uma série de soluções que preservem ou devolvam, para a natureza, o recurso extraído. Entram aí as formas de reaproveitamento da água, a captação da energia solar, a reciclagem de resíduos, os materiais recicláveis no mobiliário e a decoração.

O gosto pela tecnologia e o conforto fez crescer, também, os negócios on-line. As lojas virtuais são uma preferência entre a Geração Y, que busca cada vez mais serviços pela Internet. Assim, arquitetos tiveram que se adaptar e, hoje, oferecem opções de projetos on-line. Neles, tudo é feito virtualmente. O cliente se cadastra em um site e preenche todas as informações a respeito dele e do ambiente a ser decorado, como plantas, fotos e medidas.

A partir de então, todo o atendimento é pela Internet. O arquiteto desenvolve o projeto, envia plantas, indica móveis, objetos, materiais de acabamento, projeto luminotécnico, etc. E a interação se dá por mensagens diretas em uma área virtual.

Essa é só uma amostra de como o comportamento de consumo influencia os projetos arquitetônicos. Há tendências de decoração e design que também sofrem alterações ao longo do tempo, justamente pelas necessidades do consumidor.

Se você se interessou em saber mais sobre as novidades em arquitetura e design de interiores, siga-nos no Facebook, no Instagram e no YouTube e você terá acesso a mais dicas de decoração e lifestyle.

Compartilhe esse post

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carol Buhatem

Arquitetura de interiores
e Iluminação

Newsletter

Assine para receber minhas novidades!